“Quero que todos paguem", diz mãe de jovem morto por furtar carne em Salvador

·2 minuto de leitura
Yan Barros da Silva, 19, foi encontrado morto junto do tio após supostamente serem flagrados roubando carne no Atakadão Atakarejo, em Salvador | Foto: Arquivo pessoal
Yan Barros da Silva, 19, foi encontrado morto junto do tio após supostamente serem flagrados roubando carne no Atakadão Atakarejo, em Salvador | Foto: Arquivo pessoal
  • Mãe de Yan Barros relatou a dor pelo luto e a indignação pelo inquérito ainda estar aberto

  • Mulher pediu que os responsáveis pela morte do rapaz de 19 anos sejam punidos

  • Yan e o tio, Bruno, foram encontrados mortos após furtarem carne de um supermercado

Um mês após seu filho ser morto após furtar carne de um supermercado em Salvador, Elaine da Costa clama por justiça. Em entrevista ao G1, ela pediu que os responsáveis pelo assassinato de Yan Barros sejam julgados rapidamente e punidos de acordo com o crime.

“Eu queria logo que Deus permitisse para esse povo ser julgado, condenado", declarou. “Eu quero que todos eles paguem pela morte de meu filho. É isso que eu peço.”

Leia também

Yan Barros, de 19 anos, e seu tio, Bruno Barros da Silva, de 29, foram encontrados mortos no porta-malas de um carro, com sinais de tortura, no dia 26 de abril, no bairro de Brotas. A família acusa funcionários do supermercado Atakarejo de terem “entregado” os dois rapazes a uma facção criminosa, após eles terem furtado carne do estabelecimento.

A Polícia Civil informou que oito pessoas, entre seguranças do mercado e suspeitos de tráfico de drogas, foram presas por ligação com o caso. Enquanto o inquérito que investiga as mortes segue aberto, elas aguardam julgamento.

“O pior é que daqui a pouco fazem 30 dias que eles foram presos, as prisões deles são temporárias, não são preventivas, então daqui a pouco esses miseráveis estarão soltos", disse Elaine.

Bruno Barros da Silva, 29 anos, e seu sobrinho, Yan Barros da Silva, 19 foram encontrados mortos no porta-malas de um carro (Foto: Reprodução)
Bruno Barros da Silva, 29 anos, e seu sobrinho, Yan Barros da Silva, 19 foram encontrados mortos no porta-malas de um carro (Foto: Reprodução)

Dor pelo luto

Elaine explicou que o luto tem sido muito doloroso para sua família. Enquanto filha de 17 anos sonha diariamente com Yan, a mulher relatou que sequer sonhar com o garoto tem conseguido.

“Todo dia antes de dormir eu oro e peço a Deus para sonhar com ele e não consigo. Eu não consigo sonhar com ele”, lamentou.

Ela admitiu a dificuldade de lidar com a tristeza pela perda do filho. “Ultimamente eu estou sentindo uma dor tão apertada no meu coração. Eu paro para ler uma coisa e parece que some tudo da minha mente."

Relembre o caso

Yan e Bruno foram encontrados mortos na capital baiana. Uma testemunha, que preferiu não se identificar, disse que eles foram espancados por seguranças e por outros trabalhadores da loja antes de serem entregues para traficantes do bairro.

A testemunha contou que Bruno teria pedido para não morrer durante a surra: “Não faz isso comigo, tenho família e mulher".

Recompensa de R$ 10 mil

À rádio BandNews, um parente do tio e sobrinho, que também preferiu não se identificar, confirmou que familiares receberam a ligação e que a recompensa pedida no telefone foi de R$ 10 mil.

“Eles pegaram o celular de Bruno e começaram a ligar para algumas pessoas via WhatsApp pedindo R$ 10 mil reais para liberar os dois”, afirmou o familiar. Pelos cálculos dele, no entanto, os dois já estavam mortos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos