'Quero tentar de novo', diz Zezé Motta sobre casamento

Marcia Disitzer
Zezé Motta

Em quarentena, a atriz e cantora Zezé Motta, que completou 76 anos, no último sábado, dia 27, aguarda a data de estreia do filme “M-8 Quando a morte socorre a vida?”, do diretor Jeferson De, ainda não definida por causa da pandemia. Ela vem participando de lives, segue trabalhando em home office e, de casa, reflete sobre a situação da Fundação Palamares. "Estou profundamente revoltada pelo fato de Sérgio Camargo ter sido reempossado", desabafa. "Eu participei da inauguração da Fundação com o coração em festa. E aí toma posse um racista, alienado, que parece viver em outro mundo."

 

Zezé conta ter experimentado diversos sentimentos em mais de três meses de confinamento. "Perdi a minha mãe. Ela teve pneumonia seguida de parada cardíaca. Meu irmão teve Covid-19 e ficou internado 30 dias no hospital. Quase entrei em depressão", confessa. Para rebater, decidiu se ocupar ao máximo. "Além de estar trabalhando, estou praticando pilates virtualmente três vezes por semana e ligando frequentemente para os meus amigos, principalmente para aqueles que eu sei que estão sozinhos." Vice-presidente do Retiro dos Artistas, ela celebra um feito nesses dias tão conturbados. "Conseguimos plano de saúde da empresa Prevent Senior para internos e funcionários." Outra alegria foi ter lido a entrevista da vencedora do 'BBB 20', a médica Thelma Assis, na revista ELA. "Adorei conhecer a sua trajetória. São histórias como a dela que incentivam as nossas crianças a dizerem 'sim, eu posso'."

A pandemia fez com que Zezé, que foi casada cinco vezes, revesse seus conceitos em relação ao casamento. "Tenho dificuldade de lidar com a solidão", admite. "Quero tentar de novo. Se não for casamento, uma relação efetiva já está legal."