Questionado por Janaína, Boulos garante que ficará 4 anos na prefeitura: “Não sou da turma do PSDB”

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
Mayor candidate Guilherme Boulos speaks as his vice-mayor candidate Luiza Erundina, 85, participates from inside the "cata voto" (Vote Catcher), a car with a plastic booth to protect herself from the coronavirus disease (COVID-19) during the campaign in Sao Paulo, Brazil November 13, 2020. REUTERS/Amanda Perobelli
Guilherme Boulos, candidato do PSOL, com sua vice, Luiza Erundina (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

Depois da confirmação de que Guilherme Boulos está no segundo turno da corrida eleitoral para a prefeitura de São Paulo, Janaína Paschoal (PSL-SP) questionou o candidato se ele ficará quatro anos no cargo, em caso de vitória.

“Boulos, se eleito, você se compromete a cumprir os quatro anos? Ou vai sair em 22, para concorrer a Presidente? Os paulistanos têm o direito de saber quais são seus planos”, perguntou a deputada estadual.

Em 2018, Boulos foi candidato à presidência da República. No entanto, garantiu que não usará o cargo de prefeito como “trampolim”. “Sim, Janaína. Não sou da turma do PSDB, que usa São Paulo como trampolim para projetos pessoais. Governar a cidade em que eu nasci e vivo será a maior honra da minha vida. Sendo eleito, governarei os 4 anos”, garantiu.

Leia também

A resposta é uma provocação ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O tucano foi eleito prefeito da capital paulista em primeiro turno em 2016, mas deixou o posto para concorrer ao governo do estado.

Bruno Covas, que concorre à reeleição, era vice de Doria e herdou o cargo de prefeito.