Quinze anos após desaparecimento, pais de Maddie ainda buscam a verdade

(Arquivo) Kate e Gerry McCann, pais da desaparecida pequena Madeleine, entrevistados em 28 de abril de 2017 em Loughborough, Reino Unido (AFP/Joe Giddens) (Joe Giddens)

Quinze anos depois do desaparecimento da britânica Madeleine McCann em Portugal, seus pais ainda consideram “essencial” saber “a verdade” sobre este caso que levou ao recente pedido de indiciamento de um suspeito na Alemanha.

"Seja qual for o resultado, Madeleine sempre será nossa filha, e um crime realmente horrível foi cometido", escreveram Kate e Gerry McCann, na segunda-feira (2), em uma página do Facebook dedicada à busca por Madeleine, desaparecida desde 3 de maio de 2007.

“É verdade que a incerteza gera fraqueza. O conhecimento e a certeza dão força e, por isso, nossa necessidade de respostas, da verdade, é essencial”, acrescentaram.

Para eles, este 15º aniversário não foi "mais difícil do que outros, mas também não foi mais fácil".

Madeleine McCann, ou "Maddie", como é chamada pela imprensa britânica, desapareceu em 2007, pouco antes de seu quarto aniversário, na Praia da Luz, um balneário da região do Algarve, onde passava férias com a família.

Seu desaparecimento desencadeou uma extraordinária campanha internacional de seus pais para tentarem encontrá-la. As fotos da pequena Maddie, com seu cabelo castanho e seus grandes olhos claros, deram a volta ao mundo.

"Agradecemos pelo trabalho e pelo empenho constante das autoridades britânicas, portuguesas e alemãs, porque são estes esforços policiais conjuntos que vão dar resultados e nos trarão as respostas", afirmaram os pais de Maddie.

Em 22 de abril passado, o Ministério Público português anunciou ter pedido a acusação de um suspeito na Alemanha, sem especificar sua identidade, ou a natureza das suspeitas contra ele. A solicitação foi feita no âmbito de uma investigação sobre o desaparecimento de Maddie realizada "em cooperação com a autoridades inglesas e alemãs".

As reações coletadas pela AFP da Promotoria de Brunswick e do advogado de um suspeito alemão identificado como "Christian B.", um pedófilo reincidente identificado pelos investigadores alemães em 2020 como o principal suspeito do assassinato, não deixam dúvidas de que ele também se tornou o suspeito número 1 da Justiça portuguesa.

mpa/gmo/cm/mis/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos