Rádio se desculpa após acusação de homofobia por não tocar música de Pabllo Vittar

Dispostos a emplacarem Pabllo Vittar nas rádios pelo país, fãs têm organizado mutirões para que a cantora entre nos quadros de músicas mais pedidas. Mas relatos mostram que eles ainda precisam vencer uma barreira: o preconceito. O problema mais recente foi divulgado no Twitter de Sérgio Santos que expôs um diálogo com um locutor de uma rádio em Santa Catarina.

"Queria ouvir Pabllo Vittar - 'Parabéns'", escreveu o ouvinte.

"Olá, não tocamos Pabllo Vittar aqui", respondeu o responsável pelo contato com os fãs da rádio. Ao ser questionado os motivos, o locutor continuou: "Porque não sabemos se ele é homem ou mulher".

A situação gerou revolta, fãs acusaram a Super FM de Papanduva (SC) de homofobia e fizeram um novo mutirão. A emissora se desculpou nas redes sociais.

"Devido ao ocorrido no dia de hoje a Direção e a Equipe da Super FM vem esclarecer:
Sabemos que foi errado o que foi falado na conversa no Whatsapp (conversa particular entre ouvinte e locutor), o responsável pelas respostas já foi identificado e responderá internamente e administrativamente pelo ocorrido. A equipe da rádio pede desculpas e reforça que a rádio não possui posicionamentos preconceituosos de qualquer natureza. Somos contra qualquer tipo de preconceito e desrespeito", diz o comunicado.