Réus já estão no fórum para julgamento do Caso Bruno

Foto de arquivo mostra Bruno no II Tribunal do Júri, em MG (Foto: Alexandre Guzanshe/ AE)O goleiro Bruno Fernandes chegou na manhã desta segunda-feira no fórum de Contagem (MG) para o início do julgamento pelo sequestro e assassinato de sua ex-amante Elisa Samudio, de 24 anos. Além de Bruno, também chegaram ao local sob forte escolta seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, também acusados de envolvimento no assassinato.

Leia mais:
Relembre o caso do goleiro Bruno
Advogados discutem antes de julgamento do caso Bruno
Bruno e Macarrão chegam ao julgamento do caso Eliza

Apesar de o julgamento ter previsão de começar apenas na manhã desta segunda-feira, desde o domingo o entorno do fórum já estava cercado e o trânsito na porta do local, interditado. Por medida de segurança, o funcionamento no restante do fórum foi mantido, mas quem quiser ter acesso ao prédio deve apresentar documentos que justifiquem a presença no local, como intimações. Já o plenário do Tribunal do Júri, onde vai ocorrer o julgamento de Bruno e dos demais réus envolvidos no desaparecimento de Elisa, é restrito aos advogados do caso, à imprensa, aos familiares dos acusados e a poucas pessoas, principalmente estudantes de Direito, que conseguiram uma credencial.

A atual noiva de Bruno, a dentista Ingrid Calheiros, que mora no Rio de Janeiro, foi uma das pessoas que chegou cedo ao fórum para acompanhar o julgamento, mas não quis falar sobre o caso. Também é aguardada a presença da mãe de Elisa, Sônia de Fátima Moura, que tem a guarda do bebê que a jovem teve com o goleiro, mas, a minutos do início da sessão, ela ainda não havia chegado ao plenário.

Também devem ser julgadas a partir de hoje a ex-mulher do jogador, Dayanne Rodrigues do Carmo, acusada de sequestro e cárcere privado do bebê de Elisa, e de uma ex-namorada do atleta, Fernanda Gomes de Castro, que vai responder pelo sequestro e cárcere privado da criança e da mãe. Além do sequestro e assassinato de Elisa, Bruno e Macarrão serão julgados também por cárcere privado e ocultação de cadáver da vítima. Esta última acusação também pesa sobre Bola.

Carregando...

Siga o Yahoo Notícias