Réveillon: Búzios controla entrada de turistas, mas fiscalização não evita descumprimento de regras sanitárias

Rafael Galdo
·1 minuto de leitura
Foto: Hermes de Paula / Agencia O Glob / Agência O Globo

Não é todo aquele burburinho de verões passados em Búzios. Mas, para tempos de pandemia, o cobiçado balneário que nunca perde seu charme está cheio de turistas à espera do réveillon. Na antevéspera da virada do ano, o paraíso teve ontem cenas de assustar: praias como a famosa Geribá tomadas por banhistas, passeios náuticos com dezenas de passageiros a bordo e, o mais temerário, pouca gente com máscara no rosto em points como a Orla Bardot e a Rua das Pedras. Enquanto isso, a fiscalização para garantir o cumprimento das regras contra a Covid-19, se havia, não era percebida.

O único ponto com um controle mais ostensivo era a barreira sanitária na entrada da cidade, onde só era autorizada a passagem de quem apresentasse um comprovante de residência no município ou um QR code emitido previamente pelos meios de hospedagem. Por volta das 11h30, o tempo de espera na fila de veículos para passar pelo bloqueio era de aproximadamente 20 minutos.

Segundo agentes da prefeitura que atuavam no local, a maioria dos visitantes vinha de Rio e Niterói, cidades que cancelaram eventos oficiais de réveillon e prometem dificultar o acesso às praias hoje à noite. Mas também havia turistas de outros cantos do país, como o paulista Cesar Silva, de 36 anos. Ele dirigiu quase 600 quilômetros. No entanto, sem ter em mãos o QR code exigido, ao se deparar com a fiscalização, precisou esperar que a proprietária do imóvel que alugou chegasse à barreira, de posse de um comprovante para liberá-lo.