Réveillon: queima de fogos em Copacabana terá tributo a Eramos Carlos, Gal Costa e Elza Soares

A virada do ano será de celebração, mas também um momento de tributos em homenagens a artistas da MPB que morreram em 2022. A homenagem será durante a queima de fogos na Praia de Copacabana, que promete 12 minutos de duração. Os artistas serão relembrados pela trilha musical criada para embalar o espetáculo. O repertório deverá ter Gal Costa, Elza Soares e Erasmo Carlos. As homenagens podem ser em versões adaptadas de canções desses artistas.

Réveillon 2023 no Rio: tudo sobre a festa de ano novo em Copacabana e pela cidade

Réveillon do Copa com ingressos a R$ 4,5 mil esgota. Veja outras opções de onde curtir a virada

— Teremos homenagens. Não posso confirmar os nomes para não estragar a surpresa. O público saberá na hora. O que adianto é que mais ou menos no meio da queima teremos um dos momentos mais emocionantes do show. Resgatamos uma gravação feita em estádio de futebol em que um dos homenageados cantou em coro com o público — disse o produtor musical Daniel Lopes, carioca de 45 anos, que assina a produção musical da festa pela quarta vez. — Não serão apenas nomes da MPB. Também relembraremos uma estrela internacional que já se apresentou no Brasil que morreu este ano.

Sabor do réveillon: acarajé, bobó, bolo, cuscuz... o cardápio das baianas para a virada em Copacabana

Ao todo, o espetáculo piromusicado contará com cerca de 20 canções, a maioria remixadas para incluir sons de orquestras.

— O ritmo da trilha sonora vai ajudar a reproduzir em música aquilo que será visto no céu. O objetivo, claro, é emocionar — explicou Daniel, que ao longo do ano trabalha na produção de trilhas musicais de filmes e de peças publicitárias.

O produtor acrescentou que discutiu toda a trilha com o empresário Marcelo Kokote, responsável por produzir a queima de fogos. O formato final foi aprovado depois de simulações em computador sobre o melhor formato do espetáculo.

Volta ao normal: Turistas lotam a cidade, e números aproximam-se dos da pré-pandemia

Daniel também não quis antecipar as canções que serão apresentadas para manter a surpresa. Mas diz que um dos critérios foi evitar que músicas tocadas em edições passadas do réveillon voltassem a ser apresentadas este ano:

— Quis fugir do óbvio. Mas só no fim do show não teve como escapar: o fim da queima será em ritmo de samba, afinal é Rio de Janeiro — adiantou.