Rússia acusa gigantes de tecnologia dos EUA de interferência em eleição

·1 minuto de leitura
Mulher passa sob faixa em alusão às eleições na Rússia.

MOSCOU (Reuters) - O Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirmou nesta sexta-feira que convocou o embaixador dos EUA, John Sullivan, para se reunir com o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, para discutir uma suposta interferência na eleição parlamentar de setembro.

A Rússia tem "prova irrefutável" que gigantes da tecnologia dos Estados Unidos violaram leis russas nas vésperas das próximas eleições, afirmou o ministério em comunicado, sem especificar quais empresas e a quais violações se refere.

"Sobre isso, foi afirmado que a interferência em assuntos internos do nosso país é absolutamente inaceitável", disse o comunicado.

A embaixada dos EUA na Rússia e o Departamento de Estado não responderam de imediato a um pedido por comentário.

A Rússia disse no começo deste mês que poderia tratar como interferência nas eleições as recusas de Apple e Google de remover o aplicativo de Alexei Navalny, crítico do Kremlin, de suas lojas online.

Navalny e seus aliados promovem um plano de voto tático, que exige que seus seguidores apoiem candidatos que seriam a melhor chance de derrotar o partido governista nas eleições locais.

(Reportagem de Maria Tsvetkova)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos