Rússia alerta embaixadora britânica sobre ataque "perigoso" de drone na Crimeia

(Reuters) - O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse nesta quinta-feira que fez um protesto à embaixadora britânica depois de convocá-la sob a alegação de que especialistas britânicos estiveram envolvidos em um ataque de drone ucraniano à frota russa do Mar Negro na Crimeia.

"A diligência enfatizou que tais ações de confronto dos britânicos ameaçam agravar a situação e podem levar a consequências imprevisíveis e perigosas", disse o ministério em comunicado.

A embaixadora Deborah Bronnert chegou ao Ministério das Relações Exteriores pouco depois das 10h30, enquanto uma pequena multidão gritava slogans contra britânicos e segurava cartazes com os dizeres "Reino Unido é um estado terrorista". Ela saiu depois de cerca de 30 minutos.

Não houve comentários imediatos da parte britânica.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, disse que a embaixadora seria convocada por conta do ataque de drone de sábado à Crimeia, região que a Rússia anexou unilateralmente da Ucrânia em 2014.

O comunicado observou que o Reino Unido vem treinando militares ucranianos há algum tempo. Afirma que isso incluiu o treinamento de mergulhadores em "habilidades de sabotagem em alto mar".

"Há informações de que a Marinha britânica também transferiu um certo número de veículos submarinos não tripulados para o lado ucraniano", acrescentou.

O Reino Unido nega ter realizado o ataque, mas não esconde o fato de estar ajudando a treinar as forças armadas ucranianas e armando-as.

(Reportagem da Reuters)