Rússia ameaça ampliar ofensiva na Ucrânia; EUA pressionam China sobre posição em relação à guerra

Por Pavel Polityuk

KYIV (Reuters) - Soldados ucranianos batalharam neste sábado para conter forças russas em várias frentes, disseram autoridades, e os Estados Unidos pediram que a China se alinhe com o Ocidente em oposição à invasão, após uma tensa reunião do G20.

Um ataque com míssil na cidade de Kharkiv, no nordeste, feriu três civis, disse o prefeito, embora as principais investidas da Rússia pareçam estar concentradas a sudeste daquela região, em Luhansk e Donetsk.

Essas duas províncias, cujas partes estavam sob controle de separatistas pró-Rússia antes do conflito começar em fevereiro, compõem a região industrial de Donbas, no leste.

Autoridades ucranianas relataram ataques a ambas neste sábado, enquanto o ministério da Defesa do Reino Unido disse que Moscou estava reunindo forças reservas de toda a Rússia perto da Ucrânia.

Neste sábado, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, instando a comunidade internacional a unir forças para condenar a agressão russa, disse a jornalistas que havia discutido preocupações com seu colega chinês Wang Yi sobre o alinhamento de Pequim com Moscou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos