Rússia aprova sua terceira vacina contra Covid-19, a CoviVac

Polina Ivanova
·1 minuto de leitura

Por Polina Ivanova

MOSCOU (Reuters) - A Rússia aprovou neste sábado sua terceira vacina contra o coronavírus para uso doméstico, afirmou o primeiro-ministro Mikhail Mishustin, na televisão estatal, embora testes clínicos em larga escala da dose, chamada de CoviVac e produzida pelo Centro Chumakov, ainda não tenham começado.

A Rússia já havia aprovado duas vacinas contra Covid-19, incluindo a Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, de Moscou, que seguiu uma abordagem parecida ao receber aprovação antes de ver resultados de testes finais.

As aprovações preventivas causaram preocupação entre alguns cientistas do ocidente, mas a Rússia começou inoculações em massa com essas duas primeiras vacinas apenas depois de os testes serem concluídos com sucesso.

A Sputnik V foi aprovada em agosto e os últimos testes começaram em setembro. A vacinação em massa foi lançada em dezembro, após resultados preliminares dos testes mostrarem que a vacina tinha 91,4% de eficácia.

Desde então, mais de dois milhões de russos foram vacinados com pelo menos a primeira dose da Sputnik V, afirmou o ministro da Saúde, Mikhail Murashko, em 10 de fevereiro.

A aplicação da segunda vacina, desenvolvida pelo Instituto Vector em Novosibirsk, está começando.

“Hoje, a Rússia é o único país que já tem três vacinas contra a Covid-19”, afirmou o primeiro-ministro Mishustin.

O Centro Chumakov, fundado em 1955 em São Petersburgo por Mikhail Chumakov, é conhecido pelo seu trabalho com o cientista Albert Sabin, no auge da Guerra Fria, que levou à produção da vacina contra o pólio.

(Reportagem adicional de Darya Korsunskaya e Gleb Stolyarov)