Rússia ataca Kiev e Lviv, ampliando ofensiva

·1 min de leitura

Por Pavel Polityuk

KIEV/MARIUPOL (Reuters) - Aviões de guerra russos bombardearam Lviv e mísseis atingiram Kiev e Kharkiv neste sábado, conforme Moscou cumpria a ameaça de lançar mais ataques contra cidades ucranianas.

Na sitiada Mariupol, cenário dos combates mais pesados da guerra e da pior catástrofe humanitária, as tropas russas colocaram pressão sobre os avanços recentes, esperando compensar o fracasso em capturar Kiev.

Moscou informou que seus aviões atingiram uma fábrica de reparos de tanques na capital, onde pôde ser ouvida uma explosão no distrito de Darnytskyi, no sudeste de Kiev. O prefeito de Kiev disse que pelo menos uma pessoa morreu e que os médicos estão lutando para salvar outras.

O exército da Ucrânia disse que os aviões de guerra russos que decolaram de Belarus também dispararam mísseis na região de Lviv, perto da fronteira com a Polônia, onde quatro mísseis de cruzeiro foram abatidos por defesas aéreas ucranianas.

Em Mariupol, jornalistas da Reuters nas partes da cidade controladas pelos russos chegaram à siderúrgica Ilyich, que Moscou alegou ter capturado na sexta-feira. O local abriga uma das duas gigantescas fábricas de metal onde defensores têm resistido em túneis subterrâneos e bunkers.

Os ataques seguiram o anúncio da Rússia na sexta-feira de que o país intensificaria a ofensiva de longo alcance em retaliação a atos não especificados de "sabotagem" e "terrorismo", horas depois de confirmar o naufrágio de seu navio almirante no Mar Negro, o Moskva.

(Reportagem de Pavel Polityuk em Kiev, jornalistas da Reuters em Mariupol e redações da Reuters em todo o mundo); Tradução Redação Brasília, 55 11 5047-2695; REUTERS BC)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos