Rússia ataca leste da Ucrânia após Putin comemorar apropriação de terras

Área atacada em Bakhmut, na região de Donetsk

Por Vladyslav e Smilianets

PERTO DE BAKHMUT, Ucrânia (Reuters) - As forças russas estão avançando com ataques aéreos e terrestres em vários assentamentos no leste da Ucrânia, disseram autoridades, depois que o presidente russo, Vladimir Putin, comemorou a tomada de território durante a guerra de nove meses.

Perto da cidade de Lysychansk, a Rússia enviou mais tropas para tentar capturar a vila de Bilohorivka, disse o governador ucraniano da região, enquanto um comandante em outro assentamento fortemente disputado descreveu uma intensificação da ofensiva aérea russa.

"Eles estão trazendo mais e mais reservistas", em torno de Bilohorivka para tentar capturar a vila, disse o governador de Luhansk, Serhiy Haiday, à televisão ucraniana. "Há ataques constantes."

No assentamento de Bakhmut e outras partes da região de Donetsk, vizinha de Luhansk, o ataque matou nove civis, afirmou o governador regional. As forças ucranianas responderam com uma série de foguetes, testemunhou a Reuters.

Os combates ocorreram ao longo de toda a linha de demarcação em Donetsk, com a cidade de Avdiivka, na linha de frente, bombardeada por tanques russos na manhã de quinta-feira, disse Tatiana Ignatchenko, porta-voz da administração regional de Donetsk.

Putin deixou claro na quarta-feira que expandir as fronteiras da Rússia é um objetivo fundamental da guerra, em contraste com os objetivos declarados no início da invasão de 24 de fevereiro, que ele chama de "operação militar especial", quando afirmou que os planos de Moscou não incluíam a ocupação de terras ucranianas.

Putin disse que a Rússia já alcançou um "resultado significativo" com a aquisição de "novos territórios" na Ucrânia - uma referência à anexação de quatro regiões parcialmente ocupadas em setembro que Kiev e a maioria dos membros das Nações Unidas condenaram como ilegais.

Advertindo que a guerra pode ser longa, Putin disse que a Rússia fez do Mar de Azov seu "mar interno", agora limitado pela Rússia e território controlado pela Rússia no sul da Ucrânia, incluindo a Crimeia.

Ele afirmou que essa era uma aspiração de Pedro, o Grande - o czar guerreiro dos séculos 17 e 18 a quem ele se comparou no passado.

Nas últimas semanas, as forças de Kiev expulsaram a Rússia de faixas de terra que ocupava, incluindo uma grande cidade, Kherson. O presidente Volodymyr Zelenskiy diz que suas tropas acabarão por expulsar a Rússia de todo o território capturado, incluindo a península anexada da Crimeia, que fica entre o Mar Negro e o Mar de Azov.

Nesta quinta-feira, as forças navais russas derrubaram um drone ucraniano sobre o Mar Negro, disse o governador instalado pela Rússia de Sevastopol, um porto importante e a maior cidade da Crimeia.

No início desta semana, ataques a bases aéreas no interior do território russo causaram um grande golpe à reputação de Moscou e levantaram questões sobre por que suas defesas falharam, com a atenção se voltando para o uso de drones na guerra entre vizinhos.

Na cidade ucraniana controlada pela Rússia de Melitopol, na região de Zaporizhzhia, uma rota de abastecimento para a Crimeia, as autoridades instaladas pela Rússia convocaram homens em idade de combate para se mobilizarem, disse o estado-maior militar da Ucrânia em comunicado.

A Rússia lançou dezenas de ataques de vários lançadores de foguetes desde quarta-feira, disse o estado-maior, junto com 16 ataques aéreos e 7 ataques com mísseis.

A Reuters não conseguiu verificar imediatamente os relatos do campo de batalha de nenhum dos lados.