Rússia avança nos arredores de Soledar e Bakhmut

As forças russas realizaram ataques terrestres na da região de Donetsk e fizeram progressos nos arredores de Soledar e Bakhmut. A informação, revelada pelo Instituto para o Estudo da Guerra, foi já confirmada por Kiev e Moscovo. Os dois lados reconhecem que a situação no terreno é extremamente difícil.

A Rússia tenta tomar ambas as cidades, desde o início do verâo. Para travar os intensos esforços de Moscovo, a Ucrânia está a reforçar posições em torno de Bakhmut, na região leste de Donbass, após dias de ataques cerrados das tropas russas lideradas pelo grupo mercenário Wagner

A captura de Soledar, uma pequena cidade, que antes da guerra contava com uma população de 11 mil pessoas e que fica a 15 km a nordeste de Bakhmut, colocaria as forças ucranianas em risco de serem cercadas, sem vias de comunicação, abrindo para a Rússia um corredor até Bakhmut.

De acordo com ministério britânico da Defesa, parte dos combates concentrou-se nas entradas dos túneis das minas de sal desativadas, com 200 km de extensão sob o solo. É provável que ambos os lados estejam atualmente preocupados com a possibilidade de esses túneis serem usados para o inimigo se infiltrar nas linhas de combate.

Apesar do aumento da pressão sobre Bakhmut, é improvável que, neste momento, a Rússia cerque a cidade, tendo em conta que as forças ucranianas mantêm linhas defensivas estáveis e o controlo sobre as rotas de abastecimento.

O Instituto para o Estudo da Guerra acrescenta que o líder do Grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, está a reclamar vitórias em Soledar, numa tentativa de reforçar a eficácia do grupo de mercenários como força de combate.

O instituto norte-americano relata ainda que, além destas informações, nem sempre verificadas, o Grupo Wagner alega ser a única força beligerante capaz de garantir avanços tangíveis na Ucrânia