Rússia começa protestos à luz de velas no Dia dos Namorados após prisão de Navalny

Gabrielle Tétrault-Farber e Vladimir Soldatkin
·1 minuto de leitura

Por Gabrielle Tétrault-Farber e Vladimir Soldatkin

MOSCOU (Reuters) - Apoiadores do opositor do Kremlin, Alexei Navalny, planejam realizar reuniões à luz de velas em quintais ao redor da Rússia neste domingo, apesar de alertas de que poderiam ser presos.

Aliados de Navalny declararam uma moratória em protestos nas ruas até a primavera do hemisfério norte depois de a polícia deter milhares de pessoas nas últimas semanas em manifestações contra a prisão do político de oposição.

Mas eles querem que os russos demonstrem solidariedade com Navalny reunindo-se do lado de fora de suas casas por 15 minutos na noite do Dia de São Valentim, equivalente ao Dia dos Namorados, acendendo seus celulares e organizando velas no formato de um coração.

“(Presidente Vladimir) Putin é medo. Navalny é amor. É por isso que vamos vencer”, disse Leonid Volkov, um dos aliados próximos de Navalny, pelo Twitter, convocando as pessoas a se reunirem.

Navalny foi preso mês passado ao retornar da Alemanha, onde estava sendo tratado de um envenenamento que sofreu na Sibéria pelo que muitos países ocidentais dizem ter sido um agente nervoso. Ele foi preso em 2 de fevereiro por violar a liberdade condicional relacionada ao que ele diz terem sido acusações forjadas.

Ele culpa Putin pelo envenenamento, e países ocidentais consideram novas sanções contra a Rússia. O Kremlin nega qualquer envolvimento e questiona se Navalny foi mesmo envenenado.

Volkov, radicado na Lituânia, é um dos muitos aliados de Navalny que agora estão no exterior ou sob prisão domiciliar na Rússia.

Ele pediu que as pessoas inundem as redes sociais com fotos das reuniões de domingo - mais uma ação da oposição que se assemelha às da vizinha Belarus - usando a hashtag #amorémaisfortequeomedo, em russo.