Rússia confirma 55 militares libertados em troca de prisioneiros com a Ucrânia

Prisioneiros de guerra que deixaram a Rússia

LONDRES (Reuters) - O Ministério da Defesa da Rússia disse nesta quinta-feira que 55 de seus militares foram devolvidos à Rússia no maior acordo de troca de prisioneiros com a Ucrânia desde o início da guerra.

Em seu briefing diário, o ministério afirmou que os combatentes - das Forças Armadas da Rússia e seus representantes nas regiões separatistas apoiadas pela Rússia no leste da Ucrânia - foram transportados para a Rússia por um avião militar e estavam passando por exames médicos.

A troca surpresa envolveu quase 300 pessoas, incluindo 10 estrangeiros e comandantes ucranianos que lideraram uma defesa prolongada da cidade portuária de Mariupol.

O acordo foi intermediado pela Arábia Saudita e ocorre pouco antes de referendos em partes da Ucrânia ocupadas pela Rússia que provavelmente abrirão a onda para a Rússia declarar formalmente a anexação de mais faixas de sua vizinha.

(Reportagem da Reuters)