Rússia dá golpe final contra jornal Novaia Gazeta, um dos últimos independentes do país

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em mais uma medida de cerceamento à liberdade de imprensa, a Rússia proibiu nesta quinta (15) a atuação do jornal Novaia Gazeta, uma das últimas mídias independentes do país e chefiada pelo Nobel da Paz Dmitri Muratov.

Dez dias após revogar a licença da edição impressa do veículo, a Suprema Corte russa agora proibiu também a versão online em decisão criticada por trabalhadores da imprensa.

A medida veio após o Rozkomnadzor, órgão de controle da mídia, designar o jornal como um "agente estrangeiro" e afirmar que o Novaia Gazeta violou regras, confrontando o Kremlin. A atitude, corriqueira, tem levado a uma fuga de jornalistas do país, intensificada na Guerra da Ucrânia.

A chefia do veículo disse que irá recorrer da decisão. Muratov, que participou da sessão judicial, disse que a medida configura uma espécie de assassinato. "Vocês estão privando centenas de pessoas de seus empregos, e os leitores —eram 27 milhões no mês de março— de seu direito à informação."

O jornalista foi laureado com o prêmio Nobel em outubro passado ao lado da jornalista filipino-americana Maria Ressa. Na ocasião, o comitê norueguês descreveu o Novaia Gazeta como o jornal mais independente da Rússia atualmente.