Rússia deve aprovar vacina de dose única Sputnik Light em maio

com agências internacionais
·1 minuto de leitura

MOSCOU — A Rússia deve aprovar a vacina Sputnik Light contra a Covid-19, versão de dose única da Sputnik V, em maio e pode produzir 30 milhões de doses da vacina por mês até o final de 2021, informou o governo nesta quarta-feira.

O ministro da Indústria e Comércio, Denis Manturov, fez o anúncio depois que o presidente Vladimir Putin fez um discurso de estado à nação em que pediu aos russos que se vacinassem contra o novo coronavírus e disse que queria que a Rússia alcançasse imunidade coletiva contra a Covid-19 até o outono.

Em março, a Rússia concluiu os testes clínicos da vacina de dose única e o Ministério da Saúde recebeu pedido de registro forma. A Sputnik Light é apresentada como uma possível solução temporária para ajudar os países com altas taxas de infecção a acelerar as campanhas de imunização. Moscou informou que sua vacina de duas doses continuará sendo a principal versão usada na Rússia.

O imunizante é desenvolvido pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e utiliza uma tecnologia baseada em adenovírus humano, assim como a fórmula original da Sputnik V.

Segundo informações divulgadas pelo Fundo de Investimento Russo (RDIF), que financiou a vacina, em dezembro de 2020, a eficácia da nova versão é menor do que a de sua irmã mais velha: pode alcançar 85% em alguns casos, e menos em outros.

No Brasil, a versão original da Sputnik V ainda não recebeu autorização para uso. Até o momento, o Ministério da Saúde fechou acordo para o fornecimento de 10 milhões de doses da Sputnik V, enquanto o Consórcio Nordeste, que reúne governadores da região, anunciou parceria para receber 37 milhões de doses.