Rússia convoca embaixadores ocidentais para informar expulsão de diplomatas

Moscou, 30 mar (EFE).- A Rússia convocou nesta sexta-feira os embaixadores dos países ocidentais para informá-los sobre a expulsão de seus diplomatas em represália a uma decisão similar adotada nesta semana por uma série de países em solidariedade com o Reino Unido pelo caso do envenenamento do ex-espião Skripal.

"Aos embaixadores serão entregues notas de protesto e eles serão informados sobre as medidas de resposta da parte russa", informou a Chancelaria russa em comunicado.

O ministério explicou em sua nota oficial que os países citados adotaram "medidas inamistosas" contra a Rússia.

Os embaixadores de países como Alemanha, França, Itália, Polônia e Holanda já se apresentaram no edifício do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

"Em primeiro lugar, manter boas relações com a Rússia responde aos interesses da Alemanha. Seguimos abertos ao diálogo", disse o embaixador alemão, Rüdiger von Fritsch, ao sair da sede do ministério russo.

Mais de 30 países, em sua maioria membros da União Europeia, mas entre os quais também figuram Estados Unidos, Canadá, Austrália e Ucrânia, anunciaram a expulsão de 150 diplomatas russos.

O embaixador britânico, Laurie Bristow, também compareceu ao Ministério das Relações Exteriores russo para discutir as medidas adotadas pelos dois países nas últimas semanas - entre elas, a expulsão de 23 diplomatas - devido ao caso Skripal.

A Rússia convocou ontem à noite o embaixador dos EUA, John Huntsman, para informá-lo sobre a expulsão de 60 diplomatas americanos e sobre o fechamento do consulado geral em São Petersburgo, a segunda cidade mais importante da Rússia. EFE