Rússia diz que Marinha do Reino Unido explodiu Nord Stream; Londres nega envolvimento

.

Por Guy Faulconbridge e Sachin Ravikumar

LONDRES (Reuters) - O Ministério da Defesa da Rússia disse neste sábado que pessoas da Marinha britânica explodiram os gasodutos Nord Stream no mês passado, uma alegação que Londres disse ser falsa e projetada para distrair das falhas militares russas na Ucrânia.

A Rússia não forneceu provas da alegação.

O ministério russo disse ainda que "especialistas britânicos" lideraram ataques de drones ucranianos a navios da frota russa do Mar Negro na Crimeia no início deste sábado. A pasta afirmou que os avanços foram repelidos, com pequenos danos a um caça-minas russo.

"De acordo com as informações disponíveis, representantes dessa unidade da Marinha britânica participaram do planejamento, preparação e implementação de um ataque terrorista no Mar Báltico em 26 de setembro deste ano - explodindo os gasodutos Nord Stream 1 e Nord Stream 2, ", disse o ministério.

O Reino Unido negou a alegação.

"Para atenuar o trato desastroso da invasão ilegal da Ucrânia, o Ministério da Defesa russo está recorrendo a alegações falsas de uma escala épica", disse um porta-voz do Ministério da Defesa do Reino Unido.

"Esta última história inventada diz mais sobre os argumentos dentro do governo russo do que sobre o Ocidente."

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, afirmou que Moscou buscará uma reação do Conselho de Segurança da ONU. Ela disse nas redes sociais que Moscou quer chamar a atenção para "uma série de ataques terroristas cometidos contra a Federação Russa nos mares Negro e Báltico, incluindo o envolvimento da Reino Unido neles."

A Rússia, profundamente isolada pelas nações ocidentais desde a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro, já culpou o Ocidente pelas explosões que romperam os gasodutos Nord Stream 1 e Nord Stream 2, construídos pelos russos, no leito do Mar Báltico.

Mas o país não havia dado detalhes específicos sobre quem acredita ser o responsável pelos danos às infraestruturas, anteriormente as maiores rotas de fornecimento de gás russo para a Europa.

Uma queda acentuada na pressão em ambos os dutos foi registrada em 26 de setembro e sismólogos detectaram explosões, o que provocou uma onda de especulações sobre sabotagem a um dos mais importantes corredores de energia da Rússia.

A Reuters não conseguiu verificar imediatamente nenhuma das alegações conflitantes sobre quem foi o culpado pelos danos.

Os gasodutos Nord Stream 1 e Nord Stream 2 têm uma capacidade anual conjunta de 110 bilhões de metros cúbicos - mais da metade dos volumes normais de exportação de gás da Rússia.

FROTA DO MAR NEGRO

Enquanto isso, a Rússia disse que forças ucranianas atacaram navios da Frota do Mar Negro, em Sebastopol, a maior cidade da Crimeia, anexada à Rússia, nas primeiras horas deste sábado.

"Nove veículos aéreos não tripulados e sete drones marinhos autônomos estiveram envolvidos no ataque", disse o Ministério da Defesa.

"A preparação deste ato terrorista e o treinamento de militares do 73º Centro Especial de Operações Navais da Ucrânia foram realizados sob a orientação de especialistas britânicos localizados na cidade de Ochakiv".

Todos os drones aéreos foram destruídos, embora pequenos danos tenham sido causados ​​ao caça-minas Ivan Golubets, disse o ministério. Sebastopol é a sede da Frota do Mar Negro da Rússia.