Rússia diz que tanques britânicos enviados para Ucrânia "queimarão"

Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante entrevista coletiva em Moscou

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta segunda-feira que os tanques que o Reino Unido planeja enviar para a Ucrânia "queimarão", alertando o Ocidente que o fornecimento de uma nova rodada de armas mais avançadas para a Ucrânia não mudaria o curso da guerra.

Desde que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou a entrada de tropas na Ucrânia em 24 de fevereiro, os Estados Unidos e seus aliados deram dezenas de bilhões de dólares em armamento, incluindo sistemas de foguetes, drones, veículos blindados e sistemas de comunicação à Ucrânia.

O Reino Unido disse no sábado que enviaria 14 de seus tanques de batalha Challenger 2, bem como outros suportes avançados de artilharia nas próximas semanas.

"Eles estão usando este país (Ucrânia) como uma ferramenta para atingir seus objetivos anti-russos", disse o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov quando perguntado sobre os tanques britânicos.

"Estes tanques estão queimando e vão queimar como os demais", disse Peskov.

Peskov disse que os novos suprimentos de países como Reino Unido e Polônia não mudariam a situação no terreno.

O chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, está sob pressão para aprovar um aumento do apoio militar internacional para Kiev, permitindo a exportação de tanques de batalha Leopard 2 para a Ucrânia.

(Reportagem da Reuters)