Rússia diz que vacinas do país funcionam em novas variantes do coronavírus

·1 minuto de leitura
Frascos com adesivo "Vacina Sputnik V", em foto de ilustração

MOSCOU (Reuters) - As vacinas russas contra Covid-19 se mostraram eficazes contra novas variantes do coronavírus em testes, disse um cientista da agência de proteção do consumidor do país nesta terça-feira, depois de o órgão relatar os primeiros casos na Rússia de uma variante detectada pela primeira vez na África do Sul.

No mês passado, o presidente russo, Vladimir Putin, ordenou uma análise para determinar a eficácia das três vacinas produzidas e registradas na Rússia contra novas variantes que se espalham em várias partes do mundo, pedindo resultados até 15 de março.

Nesta terça-feira, a agência de proteção do consumidor Rospotrebnadzor disse ter identificado na Rússia os dois primeiros casos da nova variante do coronavírus descoberta na África do Sul.

"De fato, testes já foram feitos na Rússia, e podemos dizer com confiança que as vacinas registradas na Rússia (Sputnik V e EpiVacCoriona) também funcionam contra novas linhagens", disse Alexander Gorelov, vice-diretor de pesquisa do Instituto de Epidemiologia da Rospotrebnadzor, na televisão estatal.

Gorelov não deu detalhes dos testes que examinaram vacinas contra variantes descobertas primeiramente no exterior.

No dia 27 de fevereiro, pesquisadores que realizam testes de acordo com a análise ordenada por Putin disseram que os resultados pareceram robustos quando voluntários foram revacinados com a Sputnik V contra novas mutações do vírus.

A Rospotrebnadzor disse ter realizado 8.159 testes de mutações do coronavírus até agora.

(Por Polina Ivanova e Polina Nikolskaya)