Rússia e China se unem contra terrorismo e tráfico de drogas no Afeganistão

·1 minuto de leitura
O presidente russo, Vladimir Putin, em videoconferência com o presidente chinês, Xi Jinping, no Kremlin, em Moscou, em 28 jun. 2021

O presidente russo, Vladimir Putin, e o chinês, Xi Jinping, querem fortalecer sua cooperação contra as ameaças do terrorismo e do tráfico de drogas no Afeganistão - anunciou o Kremlin nesta quarta-feira (25).

Os líderes "discutiram o problema afegão" durante uma conversa por telefone e "estão prontos para redobrar seus esforços na luta contra as ameaças do terrorismo e do tráfico de drogas procedentes do Afeganistão", informou a presidência russa.

"É importante restabelecer a paz no país e impedir que a instabilidade se estenda para as regiões vizinhas", acrescentou Moscou.

Ambos os presidentes querem "envolver ao máximo" a Organização de Cooperação de Xangai, que reúne Rússia, China, Índia, Paquistão e países da Ásia Central, fronteiriços com o Afeganistão. Haverá uma cúpula dessa organização mês que vem, no Tadjiquistão.

Depois de adotar uma atitude bastante conciliadora em relação aos talibãs e de pedir um "diálogo nacional" no Afeganistão, a Rússia manifestou sua preocupação, assim como a China, com a segurança das antigas repúblicas soviéticas na Ásia Central.

Os temores de Moscou se concentram no fluxo de refugiados que poderia desestabilizar a região, na chegada de jihadistas entre esses migrantes e no ressurgimento do tráfico de ópio e heroína.

pop/alf/grp/mb/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos