Rússia e EUA retomam parceria espacial após Putin promover troca em agência

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Nasa anunciou nesta sexta-feira (15) que a parceria entre EUA e Rússia para voos à Estação Espacial Internacional (ISS) será retomada, mesmo em meio à ação americana de tentar isolar Moscou devido à Guerra da Ucrânia.

O anúncio foi feito horas depois de o presidente Vladimir Putin publicar um decreto que tirou Dmitri Rogozin da chefia da agência espacial russa, a Roscosmo —ele recentemente fez declarações que hostilizavam o Ocidente e se gabavam da capacidade de destruição das armas nucleares de Moscou.

Rogozin será substituído por Iuri Borisov, nome alinhado aos militares.

O comunicado da Nasa citou que a parceria visa a "garantir a segurança da Estação Espacial Internacional, proteger a vida dos astronautas e assegurar a presença contínua dos americanos no espaço" e já anunciou o primeiro intercâmbio. O astronauta americano Frank Rubio deve voar a bordo de um Soiuz em 21 de setembro, ao lado de dois cosmonautas russos, e a russa Anna Kikina fará parte no mesmo mês da tripulação Crew-5.

Desde que os EUA suspenderam os ônibus espaciais em 2011, até o primeiro voo privado da SpaceX para a ISS em 2020, a Nasa foi obrigada a lançar astronautas americanos comprando assentos a bordo dos foguetes Soiuz, da agência espacial russa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos