Rússia e Ucrânia: o que você precisa saber neste momento

(Reuters) - Pelo menos 15 pessoas morreram e mais duas dezenas ficaram presas sob escombros depois que foguetes russos Uragan atingiram um prédio de cinco andares na região de Donetsk, na Ucrânia, disseram autoridades locais, enquanto equipes de resgate abriam caminho pelos destroços.

GUERRA

* O governador regional de Donetsk, Pavlo Kyrylenko, disse no serviço de mensagens Telegram que um míssil russo atingiu Druzhkivka, uma cidade atrás do front de batalha, e relatou bombardeios em outros centros populacionais.

* O governador de Luhansk, Serhiy Gaidai, disse no Telegram que as forças russas estão se reunindo na área da vila de Bilohorivka, cerca de 50 km a leste de Sloviansk, a partir de onde estavam bombardeando assentamentos vizinhos e realizando ataques aéreos.

* As forças ucranianas dispararam fogo contra distritos residenciais da cidade de Donetsk, disseram separatistas pró-Rússia segundo a agência de notícias russa Tass.

* As forças russas atacaram, perto de Kostantinovka, na região de Donetsk, dois hangares do exército ucraniano que armazenavam obuses (um tipo de artilharia) M777 produzidos nos Estados Unidos, disse o Ministério da Defesa russo.

* A Reuters não pôde verificar de forma independente os relatos.

ECONOMIA/DIPLOMACIA

* O Canadá vai devolver à Alemanha uma turbina reparada que é necessária para o gasoduto Nord Stream 1 e pode ajudar a garantir fluxos contínuos de energia até que a Europa possa acabar com sua dependência do gás russo, disse o ministro de recursos naturais do Canadá.

* Os ministérios de Energia e Relações Exteriores da Ucrânia disseram que a decisão equivale a ajustar as sanções impostas a Moscou "aos caprichos da Rússia" e pediram que ela fosse revertida.

* O governo francês está se preparando para um corte total no fornecimento de gás russo, cuja autarquia vê como o cenário mais provável em seu planejamento, disse o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire.

* O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, incentivando a comunidade internacional a unir forças para condenar a agressão russa, disse a jornalistas no sábado possuir preocupações sobre seu homólogo chinês Wang Yi com relação ao alinhamento de Pequim com Moscou.

(Compilado por Robert Birsel e Frances Kerry)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos