Rússia e União Química fecham acordo por 10 milhões de doses de vacina Sputnik V

·1 minuto de leitura
Frasco com a vacina Sputnik V contra Covid-19 em Belgrado

MOSCOU (Reuters) - O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e a farmacêutica brasileira União Química fecharam acordo para o fornecimento de 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V ao Brasil no primeiro trimestre de 2021, disseram os desenvolvedores da vacina nesta quarta-feira.

A Rússia, que tem o quarto maior número de casos de Covid-19 do mundo, iniciou a vacinação em grande escala no mês passado e está promovendo sua vacina Sputnik V em outros países. O Brasil tem o terceiro maior surto de Covid do mundo.

As primeiras entregas da vacina terão início em janeiro, afirmaram os desenvolvedores da vacina apoiados pelo RDIF.

O RDIF e a União Química vão pedir uma autorização de uso emergencial para a Sputnik V no Brasil nesta semana, disseram os desenvolvedores. O fundo russo disse que a produção da vacina no Brasil já começou.

A União Química tem unidade de produção de vacinas em Brasília.

O RDIF disse que gostaria de produzir a vacina de duas doses no Brasil para exportar para outros países da América Latina.

A Rússia também está em negociações com outros países da região sobre o uso do Sputnik V.

O México tomará uma decisão esta semana sobre a autorização da vacina russa, depois que a Argentina começou a vacinar seus cidadãos com doses importadas de Sputnik V --a única vacina até agora administrada no país.

(Reportagem de Andrey Ostroukh)