Rússia eleva embarque de petróleo à Ásia para compensar proibição da UE

Campo de petróleo da Rosneft na Sibéria

(Reuters) - A Rússia está aumentando as exportações de petróleo em Kozmino, seu principal porto oriental, em cerca de um quinto, com o objetivo de atender à crescente demanda de compradores asiáticos e compensar o impacto das sanções da União Europeia, disseram à Reuters três fontes familiarizadas com o assunto.

Moscou disse que espera redirecionar as exportações de energia do Ocidente para a Ásia, mas fazê-lo por meio de longas viagens de navios-tanque a partir de portos marítimos europeus é caro e complicado devido às sanções ocidentais pelo conflito na Ucrânia.

A Transneft, empresa de oledutos da Rússia, já aumentou a quantidade de petróleo bruto bombeado para Kozmino em sua principal rota asiática, o oleoduto do Oceano Pacífico da Sibéria Oriental (ESPO), em 70.000 barris por dia (bpd) usando aditivos químicos para acelerar os fluxos de petróleo, disseram fontes, falando sob condição de anonimato.

A Transneft não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

Moscou também planeja enviar 80.000 bpd extras do chamado ESPO Blend bruto para Kozmino via ferrovia de Meget, uma rota anteriormente usada para abastecer Kozmino e refinarias domésticas quando o oleoduto ESPO estava sendo construído, disseram as fontes.

Os suprimentos adicionais permitirão que Kozmino aumente os carregamentos gerais para cerca de 900.000 bpd nos próximos meses, de uma média de cerca de 750.000 bpd até agora este ano, acrescentaram. Em 2021, a Kozmino carregou cerca de 720.000 bpd (35,1 milhões de toneladas).

As exportações de petróleo da ESPO via Kozmino estão planejadas para atingir o recorde histórico de cerca de 880.000 bpd em julho, disseram duas das fontes.

(Por redação da Reuters; reportagem adicional de Muyu Xu em Cingapura)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos