Rússia faz teste bem-sucedido de míssil hipersônico de submarino

·1 minuto de leitura
Disparo do míssil de cruzeiro hipersônico Tsirkon (ou Zircon) do submarino nuclear Severodvinsk, no mar de Barents, ao norte da Rússia, em 1º de outubro de 2021 (AFP/Handout)

A Rússia anunciou, nesta segunda-feira (4), o disparo de teste bem-sucedido do míssil de cruzeiro hipersônico Tsirkon (ou Zircon), do submarino nuclear Severodvinsk.

Esta arma de um novo tipo é considerada invencível por Moscou e tem preocupado os Estados Unidos.

"A frota russa testou, pela primeira vez, um míssil hipersônico Zircon do submarino nuclear Severodvinsk", em uma imersão de "a 40 metros de profundidade", informou o Ministério russo da Defesa em um comunicado, garantindo que "o disparo é um sucesso".

De acordo com este comunicado divulgado no aplicativo de mensagens Telegram, o míssil foi disparado do Mar Branco e atingiu, como estava previsto, um alvo de exercício no Mar de Barents, ao norte da Rússia.

Horas antes, o Exército russo havia informado que o submarino fez, no domingo (3), um primeiro disparo de Zircon da superfície.

Iniciados em 2020, mas partindo de navios de superfície, estes testes preocupam países ocidentais, em especial os Estados Unidos.

O disparo aconteceu no momento em que as negociações entre Moscou e Washington sobre "estabilidade estratégica" foram discretamente retomadas após o encontro em junho entre os presidentes Vladimir Putin e Joe Biden.

O tema do controle de armas é um ponto central destas negociações, cujo objetivo é reduzir as tensões nas relações bilaterais, agora degradadas, e deter uma corrida armamentista.

O míssil Zircon está entre as armas classificadas como "invencíveis" por Putin. Com autonomia de 1.000 km, está prevista sua integração aos navios de superfície e aos submarinos da frota russa.

rco/alf/at/me/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos