Rússia massacra Ucrânia

A Rússia perpetrou, esta quinta-feira, um dos mais intensos bombardeamentos na Ucrânia, das últimas semanas.

De acordo com as autoridades de Kiev, o Kremlin lançou 69 mísseis contra contra instalações energéticas do país, sendo que 54 terão sido intercetados pelas unidades de defesa antiaérea ucranianas.

Pelo menos cinco pessoas morreram em Kiev e em Kharkiv, a segunda maior cidade do país.

Numa altura em que as temperaturas descem para números negativos, mais de metade da capital da Ucrânia, e parte do território, ficou privado de energia.

No Twitter, o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba, afirmou que perante os últimos ataques russos, "Barbarismo sem sentido" são as únicas palavras que lhe passam pela cabeça.

"A minha neta telefonou-me e disse: 'Avó, a nossa casa está a arder, fomos atingidos. A minha mãe foi atirada e está deitada inconsciente', foi tudo o que pude ouvir", chora uma ucraniana.

Outro diz conta: "Vou cobrir as janelas com plástico por agora, e depois procuro vidro. O que podemos fazer? Quem vai ajudar? A guerra está em curso e é preciso sobreviver de alguma forma"

Durante esta quinta-feira, as sirenes antiaéreas ouviram-se por toda a Ucrânia.

O Ministério ucraniano da Defesa afirmou que o ataque danificou 18 edifícios residenciais e uma dezena de infraestruturas essenciais em 10 regiões.