Rússia pode tratar hospedagem de aplicativo de Navalny por empresas dos EUA como intromissão, diz regulador

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

MOSCOU (Reuters) - A Rússia pode tratar a recusa da Apple ou do Google de remover de suas lojas o aplicativo do crítico do Kremlin Alexei Navalny como intromissão em sua eleição parlamentar neste mês, disse nesta quinta-feira a agência de notícias Interfax citando o regulador de comunicações.

Aliados de Navalny, o mais feroz oponente doméstico do presidente Vladimir Putin, planejam usar o aplicativo para organizar uma campanha de votação tática para desferir um golpe no partido pró-Kremlin Rússia Unida que domina a cena política.

O plano de votação tática do político preso é uma das últimas alavancas que ele e seus aliados têm depois que uma repressão neste verão proibiu seu movimento como "extremista".

O supervisor das comunicações, Roskomnadzor, disse que o Google e a Apple podem enfrentar uma multa inicial de até 4 milhões de rublos (55.000 dólares) por não restringirem o acesso ao aplicativo, segundo a Interfax.

"A omissão de ação é uma violação da lei russa ... e também pode ser vista como uma interferência das empresas norte-americanas nas eleições russas", disse o documento.

Os aliados de Navalny estão proibidos de participar das eleições de 17 a 19 de setembro, e o Rússia Unida, que apoia Putin, deve vencer, apesar da queda em sua popularidade.

Moscou disse a Google e Apple para removerem os aplicativos de suas lojas online no mês passado e a Rússia usou um novo equipamento digital para direcionar o aplicativo em uma aparente tentativa de bloqueá-lo.

(Reportagem de Anton Kolodyazhnyy)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos