Rússia prevê plano de reativação de US$ 72 bilhões

Homem deixa catedral do Cristo Salvador de Moscou, em 2 de junho de 2020

A Rússia planeja investir o equivalente a pelo menos 72 bilhões de dólares em um plano de relançamento da economia, seriamente afetada pelo confinamento decretado para enfrentar a pandemia do novo coronavírus - anunciou o primeiro-ministro Mikhail Mishustin.

Este programa de cerca de 5 trilhões de rublos "visa a estabilizar a situação" antes do final do ano e alcançar, "no terceiro quarto trimestre de 2021, um crescimento perene da economia", disse Mishustin, durante uma videoconferência com o presidente Vladimir Putin, transmitida pela televisão.

Embora esse valor esteja longe da ajuda anunciada pela União Europeia, ou pelos Estados Unidos, ainda é muito importante para a Rússia.

Mishustin disse que o plano de reativação consiste em "cerca de 500 medidas concretas", mas não revelou detalhes.

Também não especificou como o plano está organizado financeiramente, já que, até o momento, a Rússia não tocou em suas reservas - os 145 bilhões de dólares de seu Fundo Soberano, estabelecido nos últimos anos, graças aos altos preços do petróleo.

Além de afirmar que o governo espera "garantir a restauração do emprego e da renda" para os russos, Mishustin prometeu "mudanças estruturais de longo prazo" para a economia do país. Essa é, aliás, uma das grandes ambições do presidente Vladimir Putin, anunciada há anos.

Antes da nova crise do coronavírus, Putin havia confiado a seu novo primeiro-ministro a tarefa de acelerar seus "projetos nacionais" destinados a modernizar o país.