Rússia proíbe 29 jornalistas britânicos e pessoas da área de defesa de trabalharem no país

Entrada da sede da BBC na região central de Londres

(Reuters) - A Rússia baniu dezenas de jornalistas britânicos, representantes da imprensa e do setor de defesa de entrar no país, afirmou o Ministério de Relações Exteriores do país nesta terça-feira.

Em uma medida que segundo Moscou é uma resposta às sanções aplicadas pelo Ocidente e à "propagação de informações falsas sobre a Rússia", 29 jornalistas e membros de organizações britânicas de imprensa como a BBC, a rede Sky News, e os jornais Guardian e Times foram especificamente proibidos.

Outras 20 figuras britânicas que, segundo Moscou, são ligadas ao setor de defesa também foram proibidas de entrar na Rússia.

"Os jornalistas britânicos incluídos na lista estão envolvidos na disseminação deliberada de informações falsas e unilaterais sobre a Rússia e os eventos na Ucrânia e no Donbas", afirmou o ministério em nota.

"Com suas avaliações enviesadas, eles também contribuíram para o crescimento da russofobia na sociedade britânica."

A lista inclui jornalistas importantes, âncoras, editores e gerentes sêniores, incluindo os editores-chefes do Times, Daily Telegraph, Independent e Guardian.

Moscou prometeu retaliar as sanções estrangeiras contra autoridades russas e proibições à imprensa russa no exterior.

O governo russo já impediu a entrada de autoridades e jornalistas norte-americanos e canadenses no país.

(Reportagem da Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos