Rússia reduz fluxo de gás para a Alemanha

A Rússia fecha um pouco mais a torneira do gás para a Europa. O fluxo do gasoduto Nord Stream 1 está reduzido a 20 por cento da sua capacidade desde a manhã desta quarta-feira.

Moscovo alega dificuldades técnicas, devido a uma operação de manutenção numa turbina que se atrasou devido às sanções europeias. O Nord Stream 1 liga a Rússia à Alemanha através do Mar Báltico.

Para Christian Egenhoger, investigador do Centro para Estudos de Política Europeia, a razão é outra:

O presidente Putin está a testar a determinação e a unidade da União Europeia.

"Vai dar um pouco mais de gás a uns e não a outros para ver se a unidade se mantém. Até agora os governos mantiveram-se firmes, mas é que claro que o apoio das populações e da indústria está um pouco em risco e é nisso que Putin está a apostar" - concluiu o analista.

Com o aprovisionamento para este inverno em perigo, os Estados-membros alcançaram esta semana um compromisso para reduzirem o consumo de gás em 15 por cento e participarem num mecanismo de alerta que obrigará a esse corte se necessário. Antes da guerra a Rússia fornecia 40 por cento do gás consumido na Europa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos