Rússia reivindica a morte de mais de 600 soldados ucranianos

Rússia reivindica a morte de mais de 600 soldados ucranianos

O Ministério da Defesa da Rússia reivindica a morte de mais de 600 soldados ucranianos num ataque maciço a instalações militares ucranianas em Kramatorsk.

O anúncio foi feito pelo porta-voz, Igor Konashenkov: "Mais de 600 militares ucranianos foram eliminados como resultado de um ataque maciço com mísseis nestes pontos de destacamento temporário de unidades das Forças Armadas Ucranianas".

Este massacre seria a represália russa pela morte de 89 soldados russos, no ataque a um quartel temporário em Makiivka, na passagem de ano, mas não há sinais de que tenha acontecido, segundo o presidente da câmara de Kramatorsk.

Também os repórteres a agência Reuters dizem ter visitado os dois dormitórios universitários onde o Ministério da Defesa russo diz que estavam alojados os soldados ucranianos e nenhum parecia ter sido atingido por mísseis ou seriamente danificado, não tendo sido encontrados corpos ou vestígios de sangue.

O que é confirmado tanto por Kiev como por Moscovo é a troca de 50 soldados russos por 50 soldados ucranianos ocorrida este domingo.