Rússia se recusa a aprovar testes com mistura de vacinas AstraZeneca e Sputnik V

·1 minuto de leitura
Vacina russa Sputnik V

Por Polina Nikolskaya

MOSCOU (Reuters) - O comitê de ética do Ministério da Saúde da Rússia tem se recusado a aprovar testes clínicos no país com uma mistura da vacina contra Covid-19 da britânica AstraZeneca e da Universidade de Oxford com a vacina russa Sputnik V, disse uma autoridade da AstraZeneca à Reuters nesta sexta-feira.

Irina Panarina, diretora-geral da AstraZeneca para a Rússia e a Eurásia, disse que a decisão não significa que os testes nunca serão aprovados ou que estão proibidos definitivamente.

Antes da decisão do comitê, ela disse que a AstraZeneca recebeu perguntas do Ministério da Saúde sobre os testes e que agora está preparando uma resposta a elas que será enviada na próxima semana.

Testes de uma vacina contra Covid-19 em humanos que combinam o remédio da AstraZeneca e da Universidade de Oxford com a vacina russa Sputnik V foram aprovados no Azerbaijão, nos Emirados Árabes Unidos e em Belarus, disse Panarina.

O Ministério da Saúde russo não respondeu de imediato a um pedido de comentário da Reuters.

Tanto a vacina da AstraZeneca e de Oxford quanto a Sputnik V são em duas doses, uma inicial e uma de reforço, mas a Sputnik usa vetores virais diferentes em suas duas doses.

A ideia para os testes é que os participantes recebam inicialmente a vacina da AstraZeneca e a primeira dose da Sputnik V 29 dias depois.