Rússia sinaliza possível troca de prisioneiros com os EUA que incluiria traficante de armas Bout

Por Guy Faulconbridge e Caleb Davis

LONDRES (Reuters) - A Rússia afirmou nesta sexta-feira que espera conseguir uma troca de prisioneiros com os Estados Unidos que envolveria o traficante russo de armas condenado Viktor Bout, conhecido como o "Mercador da Morte", e a estrela do basquetebol feminino Brittney Griner.

Em meio ao conflito mais mortal na Europa desde a Segunda Guerra Mundial, a Rússia e os Estados Unidos exploram o acordo que permitiria a volta aos EUA de norte-americanos presos, incluindo Griner, em troca por Bout.

"Eu quero esperar que a perspectiva não apenas se mantenha, mas que continue sendo fortalecida, e que o momento chegará quando conseguiremos um acordo concreto", disse o vice-ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, segundo a agência de notícias Interfax.

"Os americanos estão mostrando algumas atividades externas, estamos trabalhando profissionalmente através de um canal especial desenvolvido para isso", disse Ryabkov. "Viktor Bout está entre os que estão sendo discutidos, e certamente contamos com um resultado positivo".

Para os dois ex-inimigos da Guerra Fria, hoje lidando com o confronto mais grave desde a Crise dos Mísseis de 1962, o acordo poderia marcar uma das mais extraordinárias trocas de prisioneiros na história.

A declaração distintamente animada de Ryabkov, o homem do Ministério russo de Relações Exteriores para as Américas e o controle de armamentos, contrasta com declarações anteriores de Moscou alertando Washington sobre as tentativas de engajar em uma "diplomacia de megafone", no caso da troca de prisioneiros.

A possível troca incluiria Griner, que encara nove anos atrás das grades na Rússia após ser condenada por acusações relacionadas a drogas, e Paul Whelan, que cumpre uma pena de 16 anos na Rússia após ser condenado por espionagem, acusação que ele nega.