Rússia tem bombardeado rebeldes sírios perto de Hama, diz fonte militar

BEIRUTE (Reuters) - Aviões de guerra da Rússia estão participando de ataques aéreos contra insurgentes para ajudar a repelir uma grande ofensiva em áreas próximas da cidade de Hama controladas pelo governo da Síria, disse uma fonte militar síria nesta sexta-feira.

Grupos rebeldes liderados por insurgentes jihadistas lançaram o ataque na terça-feira e capturaram ao menos 11 vilarejos e cidades, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, grupo de monitoramento da guerra sediado no Reino Unido.

A ação marca o maior ataque rebelde em meses. Embora o presidente sírio, Bashar al-Assad, ainda esteja dominando o campo de batalha, os avanços dos rebeldes mostraram o desafio enfrentado pelo Exército da Síria e as milícias aliadas por estarem em várias frentes de luta.

"Ataques aéreos começaram agora, e há um fogo de artilharia concentrado contra os grupos armados e os quartéis-generais de seus líderes e suas linhas de suprimento, abrindo caminho para o contra-ataque", disse a fonte militar à Reuters. "Os russos estão, é claro, participando destas operações".

Os grupos rebeldes estão focando seu ataque desta sexta-feira no vilarejo de Qomhana, localizado cerca de 8 quilômetros ao norte de Hama, disse o diretor do Observatório, Rami Abdulrahman.

Uma conta no aplicativo Telegram filiada à aliança jihadista que lidera o ataque, a Tahrir al-Sham, disse que um atentado suicida foi cometido no local. A fonte militar relatou que o Exército destruiu dois carros-bombas que insurgentes tentaram lançar contra suas posições em Qomhaha e que o ataque foi frustrado.

Os combates enfatizaram as perspectivas desanimadoras para uma nova rodada de conversas de paz patrocinadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) que estão em andamento em Genebra.

(Por Laila Bassam)