Rússia tenta cimentar ligações terrestres no Sul da Ucrânia restaurando ligações ferroviárias e canal

Enquanto a Rússia continua atacando cidades e vilarejos no Leste da Ucrânia, o Kremlin está tentando aprofundar seu domínio sobre o território ocupado no Sul do país, restaurando as ligações de transporte e outras infraestruturas importantes para garantir uma “ligação terrestre” da Rússia para a Península da Crimeia.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei K. Shoigu, disse na terça-feira que seus militares, trabalhando com a Russian Railways, repararam cerca de 1.200 quilômetros de trilhos no Sudeste da Ucrânia e estabeleceram as condições para o “tráfego de pleno direito” fluir da Rússia, através do Leste da Ucrânia, na região de Donbas, para o território ocupado em Kherson e para a Crimeia.

Guerra dos grãos: EUA acusam Rússia de impedir exportações e usar alimento como arma

Cem dias: O que pode encerrar o conflito?

Assista: Videográfico explica conflito iniciado com invasão russa em fevereiro

Shoigu também disse que a água estava mais uma vez fluindo para a Crimeia através do Canal da Crimeia do Norte – uma fonte essencial de água doce que a Ucrânia cortou em 2014, depois que o Kremlin anexou a península, medida que a Ucrânia e seus aliados ocidentais classificaram de ilegal. O Ainda segundo ele, o tráfego de carros agora estava aberto entre a Rússia “continental” e a Crimeia.

Nenhuma das alegações pode ser confirmada de forma independente, e o chefe da Crimeia indicado pela Rússia, Sergei Aksenov, afirmou na quarta-feira que a estrada para o tráfego de carros era “adequada para fins militares e de entrega de alimentos”, mas que levaria algum tempo antes que pudesse ser usada por civis.

Temor: Ucrânia descarta desminagem do porto de Odessa para exportar grãos por medo de ataque russo

Entenda: O que são crimes de guerra e se ocorrem no conflito na Ucrânia

Para os ucranianos, os anúncios são mais uma demonstração de que a Rússia pretende dividir seu território e pilhar seus recursos naturais. Os portos ucranianos do Mar Negro estão bloqueados desde o início da guerra, e mais de 20 milhões de toneladas de grãos destinados à exportação estão presos lá, aprofundando a crise alimentar global.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, chamou o bloqueio russo aos grãos ucranianos de “um cerco frio, insensível e calculado por Putin a alguns dos países e pessoas mais vulneráveis ​​do mundo”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos