Rússia testa míssil com capacidade nuclear que Putin diz não existir similar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Presidente russo, Vladimir Putin
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Reuters) - A Rússia anunciou nesta quarta-feira que realizou um primeiro teste de lançamento de seu míssil balístico intercontinental Sarmat, uma nova adição ao seu arsenal nuclear que o presidente Vladimir Putin disse que daria aos inimigos de Moscou algo em que pensar.

Putin apareceu na TV recebendo informações de membros das Forças Armadas de que o míssil foi lançado de Plesetsk, no noroeste do país, e atingiu os alvos na península de Kamchatka, no extremo leste russo.

O Sarmat está em desenvolvimento há anos e, portanto, seu teste de lançamento não é uma surpresa para o Ocidente, mas ocorre em um momento de extrema tensão geopolítica devido à guerra da Rússia na Ucrânia.

"O novo armamento tem as mais altas características táticas e técnicas e é capaz de superar todos os meios modernos de defesa antimísseis. Não tem análogos no mundo e não terá por muito tempo", disse Putin.

"Esta arma verdadeiramente única fortalecerá o potencial de combate de nossas Forças Armadas, garantirá de maneira confiável a segurança da Rússia contra ameaças externas e dará o que pensar para aqueles que, no calor da retórica agressiva frenética, tentam ameaçar nosso país."

O Sarmat é um novo míssil balístico intercontinental pesado que a Rússia deve implantar com 10 ou mais ogivas em cada míssil, de acordo com o Serviço de Pesquisa do Congresso dos EUA.

Com a invasão na Ucrânia em 24 de fevereiro, Putin fez uma referência direta às forças nucleares da Rússia e alertou o Ocidente que qualquer tentativa de se colocar em seu caminho "levará a consequências que você nunca encontrou em sua história".

Dias depois, ele ordenou que as forças nucleares da Rússia fossem colocadas em alerta máximo, levantando preocupações no Ocidente.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse em 14 de março: "A perspectiva de um conflito nuclear, antes impensável, agora está de volta ao campo das possibilidades".

Em um comunicado, o Ministério da Defesa da Rússia disse que o Sarmat foi disparado de um silo às 15h12, horário de Moscou, e que as ogivas de treinamento atingiram a faixa do teste em Kamchatka, no Pacífico, a uma distância de quase 6.000 km.

“O Sarmat é o míssil mais poderoso com o maior alcance de destruição de alvos do mundo, o que aumentará significativamente o poder de combate das forças nucleares estratégicas de nosso país”, Putin.

(Reportagem de Mark Trevelyan)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos