Rússia transferiu civis da Ucrânia à força para seu território, diz ONG

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As tropas russas transferiram à força civis ucranianos, incluindo os que fugiam das regiões de conflito, para áreas sob seu controle desde o início da invasão na Ucrânia, em 24 de fevereiro, informou a Human Rights Watch (HRW) em um relatório divulgado nesta quinta-feira (1°).

As transferências forçadas "constituem uma grave violação das leis da guerra, que equivale a um crime de guerra e um potencial crime contra a humanidade", afirmou a HRW. A organização entrevistou 54 pessoas que estiveram na Rússia ou conheciam pessoas que estiveram. Algumas delas também estavam ajudando os ucranianos que tentavam deixar o território russo.

Muitos transferidos à força estavam fugindo de Mariupol, cidade portuária no sudeste da Ucrânia que sofreu um cerco devastador e bombardeios pesados antes de ser tomada pelas tropas russas. Outros deixavam a região de Kharkiv, no leste da Ucrânia.

O relatório da Human Rights Watch confirma as informações que muitas testemunhas, transmitidas por jornalistas ou ONGs, vêm relatando há meses.