Plano de reformas da Arábia Saudita prevê acabar com separação entre gêneros

Riad, 4 mai (EFE).- O programa de reformas anunciado pelas autoridades da Arábia Saudita para promover o lazer e a diversificação da economia do país prevê o fim da separação entre gêneros nos lugares públicos, conforme soube a Agência Efe nesta sexta-feira.

O documento, de 234 páginas e apresentado pelo Conselho de Assuntos Econômicos e Desenvolvimento da Arábia Saudita presidido pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, propõe acabar com a separação das famílias em restaurantes e lugares de lazer "para promover a coesão social".

O texto, chamado "Qualidade de Vida 2020", também contempla o não fechamento de lojas e estabelecimentos comerciais em coincidência com as cinco orações diárias, como acontece na atualidade durante os sete dias da semana.

Além disso, sugere que se conceda permissão às mulheres para participarem de atividades esportivas em lugares públicos e a entrarem em estádios e clubes esportivos, algo que estava proibido até agora.

O documento prevê que será necessário modificar entre dez e 15 leis para tornar efetivas as propostas do programa de reformas, que deve ser implementado até 2020.

As autoridades sauditas, ao anunciarem ontem o programa, não ofereceram detalhes sobre as propostas de reforma legislativa e se limitaram a explicar que o mesmo promoveria a participação dos cidadãos em atividades culturais e de lazer, assim como a diversificação da economia do reino sunita.

O Conselho garantiu que o objetivo do plano é "preparar o ambiente necessário para melhorar o estilo de vida dos indivíduos e das famílias" e criar "novas opções para promover a participação dos cidadãos em atividades culturais, esportivas e de entretenimento".

Além disso, o texto detalha que o programa criará novos empregos e oportunidades de negócio e melhorará a classificação das cidades sauditas na lista das melhores do mundo.

O custo total do programa de agora até 2020 é estimado em US$ 34,6 bilhões, entre investimentos estatais e privados.

O plano "Qualidade de Vida 2020" criará mais de 346 mil empregos e gerará US$ 500 milhões em benefícios, diz a nota.

Além disso, o programa saudita inclui a construção de uma cidade aquática, três parques de atrações, 16 centros de entretenimento para as famílias e uma ilha para as artes e a cultura na cidade de Jeddah, no litoral do Mar Vermelho.

Tudo isso faz parte das reformas promovidas pelo príncipe herdeiro desde que chegou ao cargo no ano passado, que vêm promovendo a concessão de direitos às mulheres, o incremento das atividades de lazer e o relaxamento de algumas das regras mais severas do país ultraconservador. EFE