Rachadinha: Flávio fala em 'narrativa armada' após denúncia contra Jair Bolsonaro

·3 minuto de leitura
Brazil’s Senator Flavio Bolsonaro smiles near Brazil's President Jair Bolsonaro after the launch of a new political party, the Alliance for Brazil (APB) in Brasilia, Brazil November 21, 2019. REUTERS/Ueslei Marcelino
Pela primeira vez, o nome do presidente Jair Bolsonaro foi envolvido em uma denúncia de suposta prática de rachadinha quando parlamentar. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

por Larissa Arantes

A defesa do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) classificou como "narrativa armada contra a família Bolsonaro" a revelação feita nesta segunda-feira (5) sobre a prática de "rachadinha" em seu gabinete quando era deputado estadual no Rio de Janeiro, incluindo agora o nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no centro .

Desde 2019, o senador é investigado pela prática de rachadinha no período em que foi deputado estadual pelo Rio de Janeiro. Outros indícios já mostraram que o crime, uma espécie de corrupção, também envolvia Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). 

Leia também:

Nesta segunda-feira (5), o UOL revelou áudios que indicam que o presidente também estava envolvido na prática de corrupção quando era deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Em nota, os advogados de Flávio afirmaram que "gravações clandestinas, feitas sem autorização da Justiça e nas quais é impossível identificar os interlocutores não é um expediente compatível com democracias saudáveis. A defesa, portanto, fica impedida de comentar o conteúdo desse suposto áudio apresentado pela reportagem".

Matéria do UOL também revelou que um ex-assessor de Flávio, o coronel da reserva do Exército Guilherme dos Santos Hudson, foi responsável por recolher parte dos salários dos funcionários do gabinete do então deputado. 

A informação foi dada por Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada do presidente Jair Bolsonaro e assessora de Flávio entre 2008 e 2018.

Ainda de acordo com a matéria, o coronel constava como assessor de Flávio Bolsonaro entre os meses de junho e agosto de 2018, mas que ele era conhecido como funcionário da família há anos. A reportagem mostra também que Guilherme dos Santos Hudson é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro no caso da "rachadinha".

Brazil's President Jair Bolsonaro attends a ceremony to present the government's agenda to the newly elected mayors, at the Planalto Presidential Palace, in Brasilia, Brazil, Feb. 23, 2021. (AP Photo/Eraldo Peres)
Os áudios divulgados apontam envolvimento de Bolsonaro com o recolhimento de parte dos salários dos funcionários quando foi deputado federal. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

A nota da defesa do senador ressalta, porém, que "no tempo em que foi deputado estadual, nunca recebeu informação ou denúncia de que havia qualquer irregularidade no seu gabinete ou em relação ao pagamento dos colaboradores. Portanto, não passa de insinuação e fantasia a ideia de que o parlamentar participou de qualquer atividade irregular".

PLANALTO CRITICA FALTA DE CONTEXTO

A Secretaria de Comunicação da Presidência da República afirmou que também não teria como se manifestar sobre as matérias publicadas pelo UOL. 

Em nota, a Secom disse que "considerando que não tivemos acesso à íntegra das gravações divulgadas pelo UOL, mas apenas a trechos fora de contexto, sem mais informações sobre data e hora, não há como nos manifestar".

O texto criticou ainda como foi feita a publicação. 

"A construção da narrativa, tal qual feita pelo UOL, por meio da divulgação de trechos sem contextualização cronológica parecem ter como intuito induzir o leitor/espectador a conclusões precipitadas por carecer de contexto".

A nota faz referência ao material publicado por UOL que aponta o envolvimento do presidente Jair Bolsonaro com o recolhimento de parte dos salários dos funcionários quando foi deputado federal. Em um áudio, a ex-cunhada do presidente afirma que Jair Bolsonaro demitiu seu irmão porque ele não entregava a parte combinada do salário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos