Rachadinha, lavagem de dinheiro e fraude: MP investiga ex-mulher de Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
A ex-esposa de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle (Foto: reprodução/Facebook)
A ex-esposa de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle (Foto: reprodução/Facebook)
  • Reportagem revelou novos indícios da participação da ex-esposa de Bolsonaro no caso das rachadinhas

  • Informações constam documentos do Coaf

  • Esquema envolveria indenizações do seguro de acidentes de trânsito

Novos indícios da participação da ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle, no caso das rachadinhas no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro foram constatados em documentos do Coaf, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras. A revelação foi feita em reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo.

Entre 2007 e 2010, ela trabalhou em 56 casos que tratavam de indenizações por acidentes de trânsito, sendo 54 tinham como base o seguro DPVAT. Grande parte ocorreu no Rio Grande do Sul sendo que a sede do escritório dela de advocacia fica no Rio de Janeiro.

A reportagem mostrou que testemunhas alegaram que as indenizações não foram pagas por Ana Cristina Valle. Além disso, as empresas dela têm uma dívida de R$325,5 mil com a União.

O Ministério Público do Rio de Janeiro apura se as empresas da ex-mulher do presidente têm relação com a prática de lavagem de dinheiro no caso das rachadinhas. O esquema ilegal é feito a partir da devolução de parte dos salários de funcionários do gabinete.

Ana Cristina Valle foi chefe de gabinete de Carlos Bolsonaro na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro entre 2001 e 2008. Nos últimos três anos, ela teve um escritório de advocacia e duas empresas de seguro. O MPRJ considera suspeito o fato de ficarem nas proximidades da Câmara.

Ainda segundo a matéria, o Ministério Público investiga se ela continuou a receber os valores provenientes da prática de rachadinha mesmo depois de deixar a chefia de gabinete de Carlos Bolsonaro e se teria usado as empresas para lavar o dinheiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos