Rael, Paralamas, Falamansa e Fundo de Quintal são destaques em 2º dia da Virada

1 / 1
Rael, Paralamas, Falamansa e Fundo de Quintal são destaques em 2º dia da Virada

RAFAEL GREGORIO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nome fortíssimo do samba, o Fundo de Quintal faz neste domingo (20) sua segunda participação seguida em uma Virada Cultural. Mas emoção e cenário serão outros.

Em 2017, o show homenageou Almir Guineto (1946-2017), morto semanas antes, em uma praça do Campo Limpo esvaziada pela chuva e pelo estranhamento do público face à pulverização do evento.

Em 2018, os veteranos tocam na região central e festejam: o show integra as celebrações de 42 anos de história.

Nascido do bloco de Carnaval de Cacique de Ramos, no Rio, o Fundo de Quintal projetou cantores e autores essenciais do samba, como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Jorge Aragão e Almir Guineto.

"É uma chance de rever o povão paulistano", diz Ubirany, 78, um dos três membros fundadores ainda na banda.

O percussionista diz que ele e os colegas têm carinho pela cidade: "É uma segunda casa; por muito tempo, fizemos aí 70% de nossos shows".

O último dia da 14ª Virada terá outra lenda do samba: Beth Carvalho, 72, também ligada ao Fundo de Quintal, do qual foi compositora e madrinha.

Ela e o conjunto Samba da Vela serão convidados em um show da dupla Os Prettos --os irmãos Magnu Sousá e Maurilio de Oliveira, que foram do Quinteto em Branco e Preto.

Outros gêneros também têm artistas de peso na derradeira programação da Virada.

Às 16h, em palco de jazz e música instrumental (cruzamento das ruas Sete de Abril e Conselheiro Crispiniano), João Donato, 82, fará show baseado no disco "Sintetizamor" (2017), marcado por experimentos com funk e eletrônica.

Às 16h30, os Paralamas do Sucesso tocam no palco Rock (av. Ipiranga, 210). O Falamansa se apresenta às 18h, no palco Forró (pça. do Patriarca). E Rael recebe a cantora Iza no pq. da Juventude, às 16h30.