Rafaela Silva é suspensa por dois anos por doping; atleta vai recorrer para ir a Tóquio

A judoca Rafaela Silva está suspensa por dois anos por ter sido pega no exame antidoping em agosto de 2019, durante os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. A punição tiraria a atleta dos Jogos de Tóquio. De acordo com o site Globoesporte.com, a campeã olímpica no Rio-2016 foi comunicada pela Federação Internacional de Judô (FIJ), mas já acionou um advogado e vai entrar com recurso no CAS (Corte Arbitral do Esporte).

No último dia 15, a judoca brasileira passou por uma audiência e foi notificada do resultado na quinta-feira. Sua defesa no CAS será feita pelo advogado Marcelo Franklin, referência em antidoping no país. Ele conseguiu a absolvição de Cesar Cielo, Caio Bonfim, Etiene Medeiros, Ana Cláudia Lemos e Pedro Barros.

Rafaela foi pega no doping no Pan de Lima e a organização decidiu tirar medalha de ouro da competição na categoria leve (-57kg). O exame detectou a substância fenoterol, a mesma com a qual Etiene Medeiros foi flagrada, em junho de 2016. A nadadora foi inocentada. O composto químico é usado em medicamentos para tratar problemas respiratórios como asma, pneumonia, bronquite e tuberculose.

A principal suspeita da equipe da judoca é que a contaminação com a substância tenha acontecido em contato com a boca de uma criança que faz uso da substância, filha de uma companheira de treinos do Instituto Reação. Segundo Rafaela, é costume que ela deixe bebês chuparem seu nariz, em gesto de carinho.