Rafinha mostra fôlego de garoto para vencer duelo com outro 'motoqueiro'

Matheus Dantas
Rafinha durante a Supercopa do Brasil, em Brasília, neste domingo (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)


Aos 34 anos, Rafinha tem mostrado um fôlego de menino desde que chegou ao Flamengo. Neste domingo, o lateral-direito provou isso outra vez com grande atuação na decisão da Supercopa do Brasil, em Brasília, onde o time venceu por 3 a 0 o Athletico e conquistou a primeira taça de 2020. Após a partida, o experiente atleta comemorou o desempenho diante de outro "motoqueiro".

Foi com este termo que Rafinha classificou os rápidos adversários que tem tido pelo frente como jogador do Flamengo. No Mané Garrincha, o duelo foi com o atacante Rony, mas a lista de desafuantes é extensa, lembrou o lateral-direito.


- São sempre os mais rápidos. É o Everton Cebolinha, o Rony, Dudu... Os mais rápidos sempre do meu lado. Na Libertadores, com o Del Cruz, foi assim, na final do Mundial (com o Mané)... Já está escrito que eles têm que vir para o meu lado - afirmou o camisa 13, antes de revelar a brincadeira com Filipe Luís, lateral de 34 anos:

- Tem que botar algum lá para o Filipe cansar um pouquinho... Mas é legal, são duelos bons que mostram que estou em plenas condições de estar rendendo bastante, me sentindo cada vez melhor - finalizou o campeão da Supercopa.

O ótimo desempenho de Rafinha está ajudando o Flamengo a conquistar títulos. São 34 partidas do camisa 13 pelo Rubro-Negro (26V/5E/3D), que superou os "motoqueiros" do River Plate, Athletico e Palmeiras, entre outros clubes, para conquistar o Brasileirão, a Libertadores e a Supercopa do Brasil.

O próximo desafio de Rafinha e de Jorge Jesus será nesta quarta-feira, em Quito, na ida da Recopa Sul-Americana. O Flamengo enfrenta o Independiente Del Valle às 22h30 (de Brasília). O jogo de volta, no Maracanã, será no dia 26.