Rainha Elizabeth nomeará novo primeiro-ministro no Castelo de Balmoral, na Escócia

Rainha Elizabeth se encontra com o primeiro-ministro, Boris Johnson, no Palácio de Buckingham, em Londres, Reino Unido

LONDRES (Reuters) - A rainha Elizabeth romperá com a tradição e nomeará o novo primeiro-ministro do Reino Unido em sua residência de verão no Castelo de Balmoral, na Escócia, e não no Palácio de Buckingham, em Londres, devido a problemas de mobilidade.

Um porta-voz do Palácio de Buckingham disse nesta quarta-feira que a rainha se reunirá com o primeiro-ministro Boris Johnson e seu sucessor, ainda não definido, em 6 de setembro em Balmoral, onde ela passa os verões.

Johnson foi pressionado a renunciar em julho, depois que dezenas de ministros deixaram o governo em protesto por seu governo marcado por uma série de escândalos.

A monarca de 96 anos terá uma audiência com o novo líder do Reino Unido, seja a secretária de Relações Exteriores, Liz Truss, ou o ex-ministro das Finanças Rishi Sunak, logo após o encontro com Johnson, disse o porta-voz.

O resultado da disputa pela liderança do Partido Conservador para suceder Johnson será anunciado em 5 de setembro, com pesquisas indicando Truss como a favorita.

A nomeação do novo líder em Balmoral dará certeza à agenda do novo primeiro-ministro e evitará mudanças de última hora caso a rainha tenha problemas de mobilidade, disse uma fonte do palácio.

A rainha Elizabeth, cujo reinado teve 14 primeiros-ministros até o momento, teve que reduzir suas aparições públicas nos últimos meses devido a problemas de mobilidade, e também passou uma noite no hospital em outubro passado por uma doença não especificada.

O monarca britânico, como chefe de Estado, tradicionalmente nomeia o novo primeiro-ministro depois de uma audiência no Palácio de Buckingham, parte do espetáculo do dia, quando câmeras de televisão e helicópteros seguem carros oficiais entrando no palácio.

(Reportagem de Michael Holden e Sachin Ravikumar)