Rajoy destaca Brasil como parceiro "prioritário" da Espanha

São Paulo, 25 abr (EFE).- O presidente do Governo da Espanha, Mariano Rajoy, posicionou nesta terça-feira o Brasil como um "parceiro prioritário" de seu país e reiterou a importância de fechar, ainda neste ano, o acordo de livre comércio entre a União Europa e o Mercosul.

Rajoy inaugurou hoje o Encontro Empresarial Brasil-Espanha em São Paulo, com o qual pôs fim a sua visita oficial de dois dias ao país. O evento contou com a presença dos ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira.

O governante declarou que ainda "há margem para que as relações econômicas e comerciais continuem se intensificando nos próximos anos" em setores como o de infra-estruturas, telecomunicações, automotivo e navegação aérea.

"A Espanha aposta no Brasil", frisou Rajoy.

O aumento do intercâmbio comercial entre os dois países também acontece pela assinatura do acordo de livre comércio que há anos é negociado pela União Europeia e o Mercosul.

"Este acordo está mais perto do que nunca, e portanto devemos acelerar as negociações para fechar um acordo político neste ano de 2017", disse o político espanhol.

Rajoy afirmou que o acordo "melhorará a vida dos cidadãos dos dois blocos "com um mercado que ficará em torno de 700 milhões de consumidores e facilitará a vida das empresas".

"Os acordos comerciais amplos, equilibrados e mutuamente benéficos são o melhor instrumento para garantir o crescimento e a prosperidade mundial ", destacou.

Por sua vez, Marcos Pereira lembrou que até o momento houve duas rodadas de negociações entre os dois blocos e que estão previstas outras duas para este ano.

"O Brasil dará continuidade e empenho às negociações", comentou.

Em seu discurso no evento, Aloysio Nunes, que classificou Rajoy como "um dos líderes políticos mais influentes do mundo contemporâneo", agradeceu "o empenho do governo espanhol em tornar viável o acordo" entre a UE e o Mercosul.

"Os dois governos (brasileiro e espanhol) estão alinhados com a visão da economia e a pesquisa de responsabilidade fiscal e social", disse o chanceler.

Nunes argumentou aos empresários espanhóis presentes ao evento que "não haverá retrocesso" nas reformas empreendidas pelo governo, que incluem um teto de gastos e reformas trabalhistas e do sistema de aposentadorias, com as quais esperam tirar o país da crise econômica.

Neste sentido, Rajoy afirmou que o Brasil, como "grande potência emergente", está mostrando ter "uma enorme capacidade de recuperação" e encorajou o governo brasileiro "a continuar com as reformas".

"As reformas são necessárias sempre para conseguir que a economia seja mais competitiva", ressaltou, antes de lembrar que teve que viver essa situação na Espanha, enfrentando uma crise sem precedentes apresentando uma "ambiciosa agenda reformista" que incluía medidas "nem sempre fáceis".

Com a abertura do seminário, que teve a presença de 71 empresas espanholas e mais de 200 empresários e organizações brasileiras, Rajoy terminou sua visita oficial de dois dias ao Brasil, que começou com um encontro com o presidente Michel Temer em Brasília.

Durante a visita, Rajoy participou do anúncio de um cabo submarítimo de telecomunicações que unirá os dois países a partir de 2019. Além disso, presidiu a cerimônia de entrega do Prêmio 'José de Anchieta', outorgado pela Fundação Conselho Espanha-Brasil e que nesta primeira edição foi concedido ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

"Tenho a convicção de que esta reunião, este encontro que tivemos ao longo dos dois dias, será muito importante para o futuro de nossos dois países", concluiu Rajoy.

De acordo com dados oficiais, a Espanha é o segundo maior investidor estrangeiro no Brasil, com capitais acumulados de US$ 64 bilhões em 2016, e o país sul-americano é o terceiro maior destino dos investimentos diretos espanhóis no mundo. Além disso, a balança comercial bilateral movimentou no ano passado US$ 5,2 bilhões. EFE