Ramal de Santa Cruz voltará a ter trem expresso depois de quase dois anos

Depois de quase dois anos, o ramal de Santa Cruz voltará a ter trem expresso. O serviço, suspenso em junho de 2020, será retomado a partir do dia 25 de julho. As três composições irão circular nos períodos da manhã e da tarde. Já no dia 11, haverá um teste da operação no período da manhã, entre 4h e 8h. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pelo presidente da Supervia, Antônio Carlos Sanches, na CPI dos Trens, na Alerj, conforme antecipou a jornalista Berenice Seara, da coluna Extra, Extra!.

Medo no campus: 'Ele está com medo até de descer do prédio', diz pai de aluno sequestrado no Cefet; estudantes vivem insegurança

Violência: Mulher brutalmente agredida e esfaqueada relata alívio com prisão de ex-marido, diz irmã da vítima

Prisão na Região dos Lagos: Polícia prende acusado de ser aliado do grupo do miliciano Tandera

Sanches informou ainda à CPI que a grade será normalizada totalmente a partir do dia 1º de agosto, com o serviço retornando como era realizado antes da pandemia. Para isso, disse que é previsto um reforço da segurança para combater os furtos de cabos, que causam problemas como atrasos ou suspensão das viagens.

Sobre a segurança das estações, Sanches disse que tem se reunido com as polícias militar e civil para combinar ações policiais. De acordo com ele, as delegacias de São Cristóvão (17ª DP), Madureira (29ª DP), Bangu (34ª DP) Nova Iguaçu (52ª DP) e Campos Elíseos (70ª DP) estão recebendo os registros de ocorrência da concessionária desde o último dia 6.

A presidente da CPI dos Trens, deputada Lucinha (PSD), comemorou o anúncio da volta dos trens expressos e disse que a medida representa uma vitória não só da CPI, mas também dos próprios moradores da Zona Oeste. A cobrança pelo retorno do expresso era grande, já que o trajeto diminui a viagem até a Central do Brasil, em uma hora e 20 minutos.

Loja interditada: Polícia e Justiça interditam loja de pneus que foi alvo de busca e apreensão por fraude e coação

O deputado Waldeck Carneiro, relator da CPI, lembrou que o cronograma da concessionária prevê médias de tempo de viagens, nos horários de pico, que não estão sendo cumpridas pela Supervia.

— Isso acontece por conta das anormalidades existentes na via e devido ao furto de cabos — justificou o presidente da SuperVia, acrescentando que é necessário diminuir a velocidade dos trens em vários trechos, como o de Belford Roxo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos